Ed. Fisica

terça-feira, 13 de abril de 2010


ATIVIDADE RÍTMICA

0

Ao se fazer uma retrospectiva histórica sobre as Atividades Rítmicas, observa-se que as canções infantis, os brinquedos cantados e as danças folclóricas e populares que antigamente faziam parte da vida cotidiana de crianças e jovens como manifestações lúdicas espontâneas em sua relação com os pais, irmãos e amigos no espaço familiar, escolar e social e, atualmente, são quase inexpressivas na cultura infantil e juvenil substituídas por outras atividades mais modernas.
Tal fato é decorrente das características da vida moderna, principalmente, pelo avanço tecnológico dos brinquedos, brincadeiras, jogos e atividades difundidas largamente pelos meios de comunicação de massa e pela crescente transformação dos espaços urbanos: moradias minúsculas, ausência de quintais e espaços, ruas e praças tornaram-se perigosos para convivência, além de outros aspectos sociais. Consequentemente as atitudes e os valores sociais e culturais sofreram transformações profundas, outras manifestações lúdicas tomaram o lugar das vivências rítmicas folclóricas e populares na diversão das crianças e jovens nos intervalos do tempo de obrigação escolar, no tempo livre e no tempo de lazer. Mesmo assim, ainda hoje, fazem parte da vida do ser humano embora com alterações, ocupam um lugar de importância principalmente na cultura infantil e, prioritariamente, pelo seu caráter lúdico e recreativo que se mantém presente desde sua origem até os nossos dias.
Em outra direção, educadores musicais, psicólogos, especialistas em educação e psicomotricidade, desde há muito tempo, em vários estudos, ressaltam a importância e os valores da estimulação do instinto rítmico e do desenvolvimento do senso rítmico no ser humano através das atividades rítmico-motoras, como recurso educativo, preventivo ou terapêutico, considerando que as ações ritmadas constituem um dos caminhos para proporcionar o desenvolvimento integral. Segundo CAUDURU (1989), estes estudiosos consideram:
“que o menor gesto regido por um ritmo implica uma complexa organização e coordenação no plano motor, que se reflete no plano mental e afetivo. Ou seja, a atividade rítmica-motora bem orientada fornece ao sistema nervoso central impulsos de imagens motoras estruturadas que geram ordem interior e propiciam sensação de equilíbrio, e autodomínio”

Sob este panorama, as Atividades Rítmicas são institucionalizadas pelas instituições educacionais, fazendo parte na educação geral, como conhecimento a ser utilizado por várias disciplinas ou como conteúdo específico de uma determinada disciplina, em particular, a Educação Física. Evidencia-se assim que, “torna-se objeto de observação e aprendizagem em contexto escolar, especificamente pedagógico” (Jurado Filho apud POMIM, 1999, p.335).

Mas afinal, o que é Atividade Rítmica? A dança é sinônimo de Atividade Rítmica? Quais os conteúdos que envolve? Quais são suas relações com a Educação Física e o Lazer? A dificuldade inicial situa-se nestas questões básicas, sem entender estes aspectos, fica difícil falar sobre algo que não se delimita muito bem em termos conceituais, principalmente na perspectiva da formação e educação do movimento humano, objetivos primeiros da Educação Física, e satisfação e prazer enquanto conteúdo cultural do lazer.
Estes aspectos transformam-se em fundamentos. para este estudo bibliográfico, buscando aprofundar os conhecimentos sobre as Atividades Rítmicas enquanto prática pedagógica da Educação Física e do Lazer com o intuito de subsidiar a fundamentação teórico-prática dos professores e animadores sócio-culturais em diferentes instituições educacionais que contemplam a Educação Física e o Lazer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário